28 de setembro de 2011

Doce de amoras silvestres e poesia




A minha cara metade fez um grande esforço ao estar quase duas horas ao sol para colher amoras, quase 1, 500 kg de amoras, depois foi lavá-las, juntar açúcar e levar ao lume até ficar no ponto, por nos frasquinhos que serão para oferecer no Natal, uma parte do fruto congelai, para o que der e vier,


Obrigado marido











As Amoras



O meu país sabe a amoras bravas no Verão.

Ninguém ignora que não é grande, nem inteligente, nem elegante o meu país,

mas tem esta voz doce

de quem acorda cedo para cantar nas silvas.

Raramente falei do meu país, talvez nem goste dele, mas quando um amigo me traz amoras bravas,

os seus muros parecem-me brancos,

reparo que também no meu país o céu é azul.

Sofia de Mello Breyner

1 comentário:

Pacas disse...

Eu adoro amoras e framboesas, mas é tão difícil encontrá-las por aí! Essa compota está com um aspecto delicioso :)